Xinando - Cartoon
Cartoons made in Açores

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Ecos 07 - Imaturidade?

A questão que aqui coloco (sim, estou a tentar lançar o debate) é se as atitudes extremas não serão sinal de imaturidade.
Aqui coloco dois extremos: o radicalismo ambiental, e o grande preconceito dos outros, que não deixará de ser radicalismo. De facto, o preconceito pode levar instantaneamente a uma conclusão precipitada, exagerada e longe da realidade.
Radicalismo + preconceitos raramente levam a bom porto, isto se levarem a algum lugar.
Outra questão que se pode colocar é que se os "verdes" podem amadurecer, será que os "maduros" não poderão também esverdear um pouco em vez de apodrecer?

Cartoon de 23 de Fevereiro de 2009

5 comentários:

geocrusoe disse...

Pelo menos muitos verdes convictos e coerentes, precisam de, por vezes, aprender mais a convencer em detrimento de impor, para terem melhores resultados; enquanto muitos descrentes das políticas ambientais precisam apenas de ter memória e recordar-se que num passado recente a economia doméstica era ambientalmente mais sustentável, pelo que bastava ser um pouco menos egoístas e já esverdeavam muito

Xinando disse...

Acho que alguns só não o fazem por birra a poder parecer verde.
O verde tentou impôr-se, o que não é simpático. Isso criou anti-ambientalistas, que não são necesariamente anti-ambiente.

LR disse...

Quando o verde dos politicos é o politicamente correcto.
Quando p verde do governo é a cor das notas das taxas e custas dos processos de licenciamento.
quando o verde das empresas de "ambiente" é o lucro proporcionado com a recolha de sucata.
quando o verde de outras empresas é a diferença entre a ida de um barco vazio para o continente ou em alternativa cheio de sucata ou resíduos, ganha-se pelos dois lados.
verdes mesmo são os sportinguistas ou seja os individuos, aqueles que agem em prol do ambiente sem a mira verde, ou laranja ou roxa ou de outra cor qualquer.

Xinando disse...

Ainda se as taxas verdes fossem efectivamente usadas para os fins verdes que as justificaram, mas nunca são. Não é só o caso das verdes, nas outras cores passa-se o mesmo.

Valter Medeiros disse...

O radicalismo nunca é a melhor opção para nada. Todos sabemos que o planeta está a se degradar a um ritmo alarmante, mas não podemos deixar de de comer (só um exemplo), mas uma coisa são as necessidades que temos de ver satisfeitas para sobreviver e outra são os luxos e os caprichos. O caviar é um bem de primeira necessidade? na opinião de algumas pessoas sim, no entanto ignoram o processo da recolha deste petisco, que vaza mais a carteira do que enche a barriga. O esturjões machos são rejeitados (a maior parte ja morta nos aparelhos) enquanto que as fêmeas são esquartejadas e deitadas borda fora depois de lhes serem retiradas as ovas...
Uma mudança de mentalidades em relação ao que realmente é importante era o suficiente para fazer uma grande diferença, mas enquanto houver radicalismo de uma parte, também haverá do lado oposto e não avançamos nada, e o verde que continua a comandar tudo será sempre o mesmo: o do dinheiro...